Reunião – Performance Artística – Parada da Diversidade Floripa 2013

O amor tem todas as cores, esse é o tema da oitava Parada da Diversidade de Florianópolis, mais um maravilhoso ato em defesa de uma sociedade mais justa, livre do racismo, machismo, homofobia e opressão.

Pensando neste momento único e especial da expressão da diversidade e sexualidade humana, nós do Grupo Acontece – Arte e Política LGBT em parceria com o instituto Arco-íris e Associação da Parada AEGLBTS/SC convidamos a todas e todos a participar da performance de abertura oficial da 8ª Parada da Diversidade.

Quinta-feira dia 25 de julho de 2013 nos encontraremos no Instituto Arco-íris que fica na Travessa Ratclif, no Centro as 17h.

LGBT

Pretendemos levar para a beira mar norte um exemplo de cidadania, união e vanguarda na luta em prol dos direitos humanos e das populações historicamente oprimidas.

A nossa família é feita de respeito e compreensão e estamos prontxs para espalhar a paz e uma nova consciência por todo o planeta!

Viva a diversidade! Esperamos vocês para dar ainda mais vida a esse sonho que se chama cidadania.

Anúncios

#Coragem

Por Fah Gastaldi.

Passear em uma bela tarde de outono de mãos dadas com o seu amor, pode parecer normal e tranquilo para muitos, entretanto para outros a coisa não é tão simples.

Nós lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) bem sabemos a dificuldade que é tomar um sorvete em paz com nosso afeto. Passar um dia sem ouvir “viadão, pecador, sapata, travecão, pervertido”,  entre outros adjetivos é quase impossível.

Nossa sociedade faz escárnio da comunidade LGBT , sendo esta  motivo de tanta piada e riso maldoso. Somos humilhados diariamente, cotidianamente e repetidamente, sem o bônus do direito a resposta.

Sendo a chacota nacional, somos também as vítimas em potencial dos religiosos, que insistem em dizer que nossa sexualidade é inferior e merece o tal de inferno, dando corda aos seus rebanhos, que ao saírem do pasto matam e violam nosso povo.

O Brasil é conhecido por ser o país onde se assassinam mais LGBT no mundo. Crimes de ódio, de lesbofobia, homofobia e transfobia. Mortos apenas por serem ou aparentarem ser. A piadinha sai do controle e vira violência, a pregação sai do amor e vira ódio e opressão.

Como se não bastasse, quando gritamos por nossos direitos somos acusados de atacarmos a liberdade de expressão, ou melhor, a liberdade de sermos violados e assassinados pelos pregadores da medievalidade.

Ao mesmo tempo quando lutamos por um país mais justo, mais solidário e humano, temos coragem de enfrentar tamanha brutalidade de nossos perseguidores.

O movimento LGBT não cobra dízimos, não possui canais de TVs e rádio, não é humorista famoso, nem gosta de queimar pessoas que não sejam LGBT. O  movimento LGBT em suma é apenas uma coisa: CORAGEM.  Coragem de sair às ruas e dizer que sim, nós existimos e estamos cansados de enterrar nossa população, estamos fartos da violência gratuita que se prega contra nós!

Por mais que insistam em nos colocar à margem desta sociedade e nos negarem direitos mínimos, nossa luta é todo dia. É um gesto de carinho em público, é assumir-se, é não calar-se perante o bulling, é sair à rua de mãos dadas, ou em um grande salto, “toda trabalhada no glamor”, é sim se afirmar e querer respeito.

Nossa batalha contra o obscurantismo religioso perpassa a todos e todas brasileiras, pois a própria liberdade está em jogo, a liberdade de amar. E nós fazemos  nosso papel amando até nossos inimigos, pois estes tem suas mãos sujas com o sangue LGBT e nós o coração cheio de esperança de um dia viver em paz.

Seja humano e não se cale perante a ignorância! Disque 100, peça ajuda! Não estamos sozinhos, estamos com o amor! E o amor sempre vence! Viva a diversidade.

Fabrício Gastaldi
Graduando em Artes Cênicas na UFSC, militante do movimento LGBT, membro da ABGLT e Diretor Artístico e Cultural do Grupo ACONTECE – Arte e Política LGBT de Florianópolis – SC

SAM_1584